Hiperglicemia em Gatos

    A hiperglicemia  é uma alteração comum na clínica de felinos.Sabe-se que eventos estressantes associados a procedimentos clínicos,como coleta de exames,internamentos e consultas,tornam o felino hiperglicêmico momentaneamente.A liberação de noradrenalina e ativação do sistema nervoso simpático podem até mesmo proporcionar uma glicosúria.Devendo assim,o clínico ficar alerta para não cometer erros no diagnóstico e tratamento do paciente.

       O metabolismo do felino o diferencia totalmente dos outros animais domésticos.Gatos são carnívoros verdadeiros,e assim,não conseguem metabolizar com habilidade a glicose.Possuem uma atividade mínima da enzima hepática chamada Glicoquinase,que é responsável pela fosforilação da glicose no fígado.Além disso têm uma atividade mínima da Glicogênio-sintetase,portanto não conseguem converter perfeitamente a glicose em glicogênio,sendo mais susceptíveis  à hiperglicemia,possuindo assim,uma dificuldade em controlar a mesma.
       Interessantemente,gatos anoréxicos geralmente também estão em hiperglicemia.Fatores inflamatórios,como interleucinas,citocinas,fator de necrose tumoral,inibem a ação da insulina.Portanto,é muito comum em gatos hospitalizados,quadros de hiperglicemia.Embora este evento seja comum também em cães e   em humanos,acredita-se que em felinos ocorra muito mais.
       Alguns importantes estudos já foram publicados relatando a prevalência e a significância da hiperglicemia em gatos hospitalizados.Em um trabalho mais recente,Ray et al(2009),relatou  que em um grupo de 182 gatos internados devido a causas variadas,64,8% encontravam-se em hiperglicemia,e que os mesmos tiveram um período de hospitalização muito maior,em comparação aos normoglicêmicos.Dentre os óbitos,66,7% também eram hiperglicêmicos,o que demonstra a relevância do estado glicêmico no prognóstico do felino enfermo.Percebeu-se também que 93,7% dos gatos em estado febril estavam hiperglicêmicos,o que é justificado pela interferência dos mediadores inflamatórios no controle glicêmico.
           O que o clínico veterinário deve saber,diante da comum hiperglicemia no gato,é que NÃO se deve administrar fluidos ricos em glicose no paciente felino,principalmente em estados anoréxicos e críticos.O que menos o felino precisa neste momento é de glicose,já que não têm as condições necessárias para “lidar” com esta.A pronta e assistida hidratação,associada à alimentação enteral é o recomendado para essas situações.
1 responder
  1. Butterfly Wings
    Butterfly Wings says:

    Olá, conheci seu blog há poucos dias apesar de que em julho pesquisei muitas coisas sobre gatos idosos, mas até então não havia encontrado o medfelina.
    Eu estava pesquisando porque eu tinha uma gatinha de 19 anos que estava bem doentinha… No meu blog eu contei um pouco sobre o período de adoecimento da minha gata, dúvidas e angústias para tentar compartilhar com pessoas que podem estar passando por situações parecidas com seus bichinhos. Abaixo segue o link para quem interessar.

    http://butterflywingspink.blogspot.com.br/2012/08/historia-de-amor-pela-minha-gatinha.html

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *