Linxacariose


O Lynxacarus radovskyi é um ácaro Sarcoptiforme da família Listophoridae,possui uma forma alongada,com laterais achatadas.É um ácaro de movimentação rápida,de coloração branca com porção anterior marrom.Há formações em ventosa em todas as patas,o que os mantêm firmemente aderidos aos pêlos dos animais.Medem de 430 a 520 micrometros de comprimento.Ele é chamado assim em homenagem ao Dr.Radovsky,pioneiro na identificação,do Museu Natural de Honolulu,no lindo Hawai.
Seu ciclo de vida ainda é pouco conhecido,acredita-se que ele permanece toda a sua existência aderido ao pêlo do hospedeiro,alimentando-se deste.Os ovos são grandes,cerca de 0,2mm de comprimento,que dão origem a uma larva e depois uma ninfa.
Em vários estados já foi notificado o parasita,como Rio de Janeiro,Rio Grande do Sul,São Paulo,Pernambuco,Pará,Rio Grande do Norte,Ceará,Paraíba e Espírito Santo.Notadamente,é um ácaro dos trópicos.
Geralmente os sinais clínicos são proporcionais ao tamanho da população destes parasitas no animal,podendo ocorrer alopecia,com pêlos facilmente destacáveis,descamações,prurido,lesões escoriativas e até dermatite miliar.Porém,a infestação subclínica é comum,com o hospedeiro assintomático.Percebe-se também que o prurido nem sempre é proporcional ao grau de infestação,pois em alguns gatos com poucos ácaros ,desenvolvem uma hipersensibilidade,coçando-se bastante.Alguns sintomas gastrointestinais podem acompanhar devido à lambeduras excessivas,como vômitos e constipação por bolas de pêlos
Foi reportado que animais de pelagem clara são mais susceptíveis,entretanto alguns estudos não comprovaram esta predisposição.As regiões mais afetadas são a epigástrica,perineal,membros pélvicos,cauda e dorso-lombar,mas uma infestação generalizada pode ser encontrada,principalmente em persas e outras raças de pelagem longa.
A transmissão é basicamente por contato direto,mas fômites também podem ser uma forma importante de contágio,como toalhas,camas e escovas.Há também relatos de contaminação humana,sob forma de erupções cutâneas pruriginosas.
O diagnóstico é feito facilmente por tricograma ou raspado -de- pele,isolando-se o agente.
São conhecidos vários tratamentos,com discordâncias em relação à efetividade dentre eles,de acordo com vários autores.Pode-se utilizar a ivermectina,selamectina,banhos semanais com xampus a base de sulfeto de selênio,tetraetil-tiuran,piretrinas.Produtos tópicos como o fipronil também são utilizados.
A Linxacariose é uma dermatopatia emergente na clínica de felinos,onde pouco se conhece do ciclo deste parasita e o tratamento ideal.Particularmente,acredito que a presença dele não pode significar uma patologia,dependerá de toda uma história e exame clínico detalhado,mas também,uma hipersensibilidade ao mesmo não é tão incomum,justificando quadros pruriginosos em felinos.Na nossa experiência o fipronil têm resolvido bem os quadros de infestação,podendo-se associar à ivermectinas ou banhos semanais com tetraetil-tiuran.

9 respostas
  1. Nina
    Nina says:

    Tenho três persas e dois deles (pelagem azul e cinza)ja tiveram infestações por esse ácaro. Só percebi que meus gatos possuiam os ácaros qdo realizei nos estudos de faculdade um exame de fezes e vizualizamos os parasitas e ovos engolidos junto com muito pêlo. As fezes estavam cheias de pêlos e foi quando nos demos conta do comportamento excessivo de lambeduras… Esse post vale de alerta!!!

    Responder
  2. Max Weber
    Max Weber says:

    A minha gata também apresentou asse ácaro, porém era tão excessivo que ao dormir els exploria na região da face e dava prá ver a olho nu eles se movimentando no pelo.
    Ainda estou fazendo o tratamento nela, apliquei também o Advocate, e na primeira aplicação notei que os acaros morreram, o problema agora está sendo retirar os ácaros mortos dos pelos pois eles ficam muito grudados.
    Dr Reginaldo e Nina vocês tem alguma dica prá me dar?
    Obrigado.

    Responder
  3. vitor
    vitor says:

    Acabei de identificar os ácaros em meus gatos, em Uberaba-MG, por isso fui procurar mais informações sobre o assunto, pois percebi que eram ácaros, porém nem sabia que existia este tipo de infestação.
    O gato persa foi o mais acometido e relatou hipersensibilidade às picadas. Fui radical, tosei o corpo e banhei o gato e a gata persa, que eram os mais infestados. Dos demais (duas filhotes mestiças e 2 gatas persas e uma vira lata) apenas a gata vira lata de pelo curto não apresentou a infestação.
    Tratei todos com fipronil, estou aguardando o resultado. O gato está sofrendo muito, cheio de feridas e pruridos, se coça o tempo todo.
    Não sei se já havia relatos em Minas Gerais, pois sempre fui amantes de gatos e nunca havia presenciado. Como será que meus gatos adquiriram esta infestação, é possível saber?
    Atenciosamente,
    Beatriz

    Responder
  4. jamille
    jamille says:

    dr reginaldo fiz o exame nos pelos da minha gata e deu esse acaro qual melhor remedio para cura-la e o que devo fazer no ambiente para que ela permanece saudável? Outra dúvida tenho 3 cachorros eles também pegam isso? Moro em apartamento e minha gata nunca sai não sei onde ela pegou isso.. me ajude por favor!
    Obrigado

    Responder
  5. Tatiana Ribeiro
    Tatiana Ribeiro says:

    tenho uma gata que apareceu em minha casa com uma ferida abaixo das orelhas que não sarava. levei ela no veterinario e foi diagnosticado sarna, porem apos o tratamento completo ela continua se ferindo, mas nao de forma intensa, tanto que da tempo de formar cascao nas feridas. O que pode ser?

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *